A Igreja – Irmandade da Santa Cruz dos Militares

A Igreja

A atual Igreja da Santa Cruz dos Militares começou a ser erguida por volta de 1770, no lugar da antiga capela que se tornou pequena para abrigar os seus Irmãos . Os templos religiosos, entre os séculos XVII e XIX, além de serem espaços destinados à realização de cerimônias para celebração de Sacramentos, de solenidades e datas comemorativas da Igreja Católica, também eram locais privilegiados de sociabilidade, em que as pessoas se reuniam, difundiam notícias, manifestavam a sua fé e realizavam variados rituais sagrados. A vida social das vilas e das cidades estava ligada à vida religiosa, desde o nascimento do fiel até a sua morte.

As obras de construção da nova Igreja levaram mais de trinta anos para serem concluídas. Em 28 de setembro de 1811, o novo templo foi sagrado, ocasião em que se realizou uma missa solene, na qual compareceu o Príncipe Regente D. João. Em 03 de dezembro de 1828, o Imperador Dom Pedro I concede o título de Imperial à Irmandade da Santa Cruz dos Militares, graça que também foi declarada pelo Imperador Dom Pedro II, no ano de 1840. Momento muito importante para a Igreja da Santa Cruz dos Militares diz respeito a sua agregação à Sacrossanta Basílica do Vaticano, em 1923, ano em que a Irmandade comemorava o seu tricentenário de fundação.

Embora a Igreja não seja dedicada a um orago específico, presta homenagem a vários santos. No retábulo central está entronada a imagem da Nossa Senhora da Piedade. Nos retábulos laterais localizam-se as imagens da Nossa Senhora das Dores e de São Pedro Gonçalves, santo que representa a Irmandade que levava o seu nome e, até o final do século XVIII compartilhava, com a Irmandade da Santa Cruz, o espaço da Igreja. Há, ainda, imagens de São Tarcísio, de São José, da Nossa Senhora da Conceição e do Bom Jesus dos Aflitos.

Fachada frontal Igreja da Santa Cruz dos Militares. Cerca de 1910. Acervo ISCM.

Relevo (detalhe de anjos no interior da Igreja da Santa Cruz dos Militares). Foto Bruno Freitas.

Nossa Senhora da Piedade, entronada no retábulo da Igreja da Santa Cruz dos Militares. Foto Jaime Acioli.

São Pedro Gonçalves. Acervo ISCM. Foto Bruno Freitas.